Vitória de Italo Ferreira no MEO Rip Curl Pro Portugal coloca o brasileiro no topo do Circuito

A uma etapa do fim do Circuito Mundial de Surf, Italo Ferreira assumiu a ponta da classificação. A vitória no MEO Rip Curl Pro Portugal, em Peniche, foi a segunda consecutiva do brasileiro na etapa, que teve Gabriel Medina punido ainda nas oitavas de final, ação que o fez cair no torneio e perder a camisa amarela.

Na decisão, Italo não deu chances a Jordy Smith, marcando uma nota 10 – a única do evento todo – e somando 18.43 pontos contra apenas 6.17 do sul-africano. “Foi um evento incrível e estou muito feliz por ter começado a bateria com uma nota 10. Agora é só comemorar com essa torcida que lotou a praia hoje (sábado)”, disse o brasileiro, logo que saiu do mar. “A torcida brasileira é a melhor em qualquer lugar do mundo e agradeço a todos eles, meus amigos, ao meu amor e todos que sempre me apoiaram”.

Essa foi a terceira final de Italo em Portugal. Em 2015 ele foi vice de Filipe Toledo e no ano passado superou o francês Joan Duru. Os melhores resultados do brasileiro no ano são essa vitória e a conquistada na Gold Coast e os dois segundos lugares em J-Bay e Hossegor. Com essa boa fase, o atleta vai competir no Pipe Masters, a última etapa do tour 2019, com a camisa amarela de número 1 do ranking.

“Estou muito feliz comigo mesmo, pelo que fiz no campeonato todo, por minha namorada estar aqui comigo, meus amigos, minha família, foi realmente incrível. Agora estou na frente e vai ser muito divertido a decisão do título no Havaí. O jogo está aberto e vou tentar ser campeão, certamente”, completou.

Italo Ferreira chegou ao topo do Circuito com 51.070 pontos, pouco mais de mil acima de Gabriel Medina, que sofreu uma punição no evento português após interferir seu adversário (Caio Ibelli), já na reta final de sua bateria, quando o rival tinha a prioridade de surfar a melhor onda. Com a interferência, o residente de Maresias pôde somar apenas uma onda, sua melhor, de nota 8,17. Já Ibelli teve soma superior, com uma onda de 5,40 e outra de 3,10. Gabriel Medina reclamou da atitude da organização, mas em vão.

Agora em Pipeline, cinco surfistas vão em busca do título do Circuito Mundial de 2019. Italo Ferreira, Gabriel Medina, Jordy Smith e Filipe Toledo só dependem deles mesmo para erguer o troféu. Já o norte-americano Kolohe Andino depende de uma combinação de resultados para ser o campeão. O Billabong Pipe Masters acontece entre os dias 8 de 20 de dezembro na Rainha do North Shore da ilha de Oahu, no Havaí.

Vagas nas Olimpíadas

Também ficou para o Billabong Pipe Masters, a batalha pelas últimas vagas na lista dos dez surfistas que se classificam para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos no Japão. Apenas quatro estão 100% garantidos, o sul-africano Jordy Smith, o norte-americano Kolohe Andino, o japonês Kanoa Igarashi e o francês Jeremy Flores.

Com a vitória em Peniche, Italo Ferreira passou a liderar a corrida pelas duas vagas do Brasil. Gabriel Medina está com a outra no momento, mas Filipe Toledo também segue vivo na disputa. Classificam os dois surfistas brasileiros melhores colocados ao final da classificação do WCT.

Classificação geral do Circuito Mundial de Surf 2019:

1 Italo Ferreira (BRA) 51.070 pontos

2 Gabriel Medina (BRA) 50.005

3 Jordy Smith (AFR) 49.985

4 Filipe Toledo (BRA) 49.145

5 Kolohe Andino (EUA) 44.665

6 Kanoa Igarashi (JAP) 40.185

7 Owen Wright (AUS) 34.780

8 John John Florence (HAV) 33.220

9 Jeremy Flores (FRA) 32.515

10 Kelly Slater (EUA) 30.090

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *