Quer cair nas ondas? Conheça dicas preciosas para escolher a prancha certa para o surf

A Praia de Maresias é conhecida como um dos melhores picos de surf do Brasil. Dona de etapas qualificatórias e principais da elite do surf ao longo de sua história, a região é um verdadeiro paraíso para surfistas por suas excelentes ondas, além de ser casa do brasileiro bicampeão do mundo do esporte, Gabriel Medina.

Com isso, o local normalmente atraí muitos atletas, até mesmo iniciantes, que sonham em conseguir destaque no esporte. Só que para isso, não basta apenas treinamento e força de vontade. A escolha da prancha também é importante. Tamanho, peso, nível de experiência do atleta, tudo influencia na hora da escolha do objeto.

Se você é iniciante esporte, o ideal é que sua prancha seja maior, mais larga e mais espessa, pois assim a estabilidade fica maior, facilitando para remar, levantar e dropar as ondas. Já para quem é mais experiente e é adepto do surf moderno e de muitas manobras, quanto menor a prancha, mais radical vai ser o seu drop.

Confira modelos e dicas para você arrumar a prancha ideal para seu estilo de surf:

Funboard
Melhor opção para os iniciantes, a funboard obtém todas as medidas mais largas, dando mais estabilidade ao atleta e tornando a aprendizagem mais rápida e eficiente. Com ela, fica mais fácil entrar nas ondas e o surf que se pratica é mais lento.

Shortboard
É o tipo de prancha mais comum e usada. A shortboard foi desenhada para a realização de manobras rápidas. Veloz e muito manobrável, ela é boa para um surf mais moderno de rasgadas, aéreos e tubos, necessitando de grande experiência para o total controle do objeto.

Longboard
As longboard são réplicas modernas das primeiras pranchas de surf e permitem você pegar praticamente qualquer tipo de onda. Polivalente, ela é ideal para quem gosta de um surf mais suave e quer facilidade na hora de entrar nas ondas.

Além dos modelos das pranchas, outras partes do objeto influenciam diretamente no estilo de surf que você vai querer praticar:

Rabeta: define o quanto de precisão e força será preciso aplicar para completar uma manobra ou como a prancha vai se comportar ao fazer um movimento.

Quilhas: É o que faz a prancha ficar mais ou menos presa na água na hora da cavada ou nas desgarradas.

Fundo: define a velocidade que a prancha vai pegar em determinado tipo de onda, dando mais ou menos contato com a água.

Todas estas partes podem ser modificadas conforme a vontade do atleta. No Circuito Mundial de Surf, por exemplo, os surfistas profissionais variam suas pranchas conforme as etapas, que apresentam fluxos diferentes de ondas, que também influenciam na escolha do equipamento.

Fique ligado aqui no Portal Maresias. Aqui você pode encontrar tudo sobre surf e alguns outros esportes aquáticos. Fique por dentro das principais notícias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *